sfdf
Publicado por Redação | 5 de outubro de 2015
“Eu não me importo com nada disso” diz Melanie sobre intrigas na indústria pop

Nessa Segunda (05) foi divulgada uma nova entrevista. Dessa vez, Melanie conversou com a revista Ladygunn sobre rixas na indústria musical, fãs e, claro, The Voice. Confira a nossa tradução:

Melanie Martinez é brincalhona, no sentido mais literal da palavra. Às vezes parece que a cantora de 20 anos, que lançou seu álbum debut, Cry Baby, em agosto, é a personificação das bonecas vintage do Pinterest as quais você é obcecado. Então é fácil adivinhar que selecionamos o Family Arcade de Los Angeles como fundo para o photoshoot da Melanie.

Eu amo jogos de arcade“, ela me diz através do telefone. Ao invés disso, são as intrigas do mundo real e a veneração dos tabloides que ela não tem interesse. Nós conversamos no mesmo dia em que batalha do VMA entre Nicki Minaj e Taylor Swift surgiu no Twitter, então naturalmente eu pergunto a opinião da Melanie sobre o assunto do momento. “Para ser completamente honesta com você, nem sei direito do que você está falando. Eu não me importo com nada disso, a menos que meus amigos me mostrem” ela diz. “Então eu apenas direi que acho que todos deveriam ser amigos e que não deveriam existir brigas!“.

Para uma pessoa que não segue muito a cultura pop, ela certamente foi apoiada por não uma, mas duas entidades do pop de proporções sísmicas: primeiro, na terceira temporada do The Voice em 2012 (ela foi parte do time do Adam e saiu na 5ª semana), e depois sua canção pesada como um acordeão, “Carousel“, foi usada em um trailer de American Horror Story: Freakshow na última primavera. Mas, como ela te contará, competições de canto são dificilmente seu interesse. “Só o fiz porque tinha 16 anos. Eu escrevia músicas no banheiro em Long Island e só queria sair dali, mas não sabia outro jeito. Como eu era a mais nova no show, aprendi muito com os outros participantes“. O terror é mais influente para ela. Quando perguntada sobre qual personagem de filme ela gostaria de ser, Melanie tem de tomar um minuto para pensar, antes de declarar o óbvio: “eu definitivamente estaria em um filme de terror ou do Tim Burton. Teria que ser aterrorizante“.

Transformar aterrorizante em fofo aparenta ser uma de suas maiores habilidades. Tudo sobre Melanie – desde seu visual princesa gótica da Disney até sua inspiração indie pop na Margaret Keane – adiciona camadas vibrantes para sua identidade pop obscura. Até seu cabelo metade-metade se auto descreve como um ato de rebelião. “Minha mãe nunca me deixava descolorir meu cabelo, então eu disse pra ela que ia ficar igual à Cruella Cruel quando fizesse 16, mas ela não acreditou em mim. Quando eu cheguei do salão, ela surtou e não falou comigo por uma semana.

A artista também é decidida sobre sua visão artística, além de ser aventurosa no estúdio, colocando sons de bolhas de sabão em um dos destaques do álbum, “Soap”, e usando sons de brinquedos o suficiente para fazer de seu álbum a trilha sonora perfeita para uma visita noturna à Toys R Us (loja de brinquedos americana). “A história do álbum é praticamente a história da minha vida de um jeito mais louco“, ela explica. “Se eu fizesse um álbum todo sobre ser maduro, seria igual à qualquer outro álbum alternativo. Então o meu tem todo o glacê e os granulados, mas também tem esse núcleo de chocolate amargo“. Ela também quer que seu álbum tenha um gosto final:

“Eu definitivamente quero lançar um vídeo para cada música. Mesmo que demore dois anos, eu vou economizar e falir só para ter certeza de que terei vídeos para todas as músicas que gosto.” ela adiciona.

Meu álbum é um conceitual sobre essa garotinha, Cry Baby. Mas minha vida de artista e minha vida normal é praticamente a mesma: eu sempre ajo e me visto do mesmo jeito“, Melanie revela, indicando os anos 50, Peter Pan e moda japonesa como suas influências e escolhendo o álbum “In The Aeroplane Over The Sea”, do Neutral Milk Hotel, como seu principal álbum de infância. Mas ela realmente chora muito?

“A última vez que chorei foi dois dias atrás. Eu estava escrevendo o refrão para uma música de hip-hop e fiquei muito frustrada. Então meu amigo disse algumas coisas que me fizeram repensar tudo que eu estava escrevendo. E eu desisti e comecei a chorar,” ela ri.

Mesmo que a tal música não funcione, por agora ela tem material o suficiente para satisfazer seus fãs, que começaram a se chamar de “cry babies” naturalmente.

Eu tento ficar longe de chamar meus fãs de qualquer coisa. Olho para cada um como uma só pessoa, então não quero categorizá-los. Eles são todos únicos e todos têm nomes,” ela insiste. Então, aqui está o desafio – ela consegue citar seus cry babies mais devotos? Sim, ela consegue: “Brian, Courtney, Becky, Evy, Nava!

Quem sabe, talvez quando seus próprios fãs tiverem filhos um dia, eles vão aconchegá-los na cama aos sons de uma canção de ninar feita por Melanie Martinez. “Eu sinto que meu álbum debut é quase um álbum de canções obscuras de ninar, mas um álbum só disso seria muito legal também,” ela concorda. Bem, o mundo é seu playground, Melanie.

Confira aqui a edição da revista completa, que tem a cantora Bebe Rexha como capa.

  • http://ikrjubs.tumblr.com Juliana

    A Melanie está praticamente dando lição de moral para os artistas. Way to go, Melanie!

  • Marcio Roberto

    Maravilhoso… tão bom ver que ela não é uma pentelha chata e fútil ou superficial, cada vez mais eu gosto dela.

  • Luisa Correia

    cada vez mais apaixonada pela melanie <3

DESENVOLVIDO POR VINICIUS HUNTTER | MELANIE MARTINEZ BRASIL © 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.