Postagem visualizada 155 vezes

10.11
10 filmes essenciais que inspiram Melanie Martinez

Em sua participação especial como editora da revista Alternative Press, Melanie Martinez revelou 10 de seus filmes preferidos, e comentou seus aspectos preferidos sobre eles. Alguns desses filmes inspiraram seu primeiro filme, “K-12” e também alguns de seus clipes da era Cry Baby. Confira a lista abaixo:

O Grinch (2000): “Esse filme é cheio de inspiração sem fim. Foi um dos primeiros filmes que eu lembro gostar como louca quando eu era criança. Eu sou obcecada com os cenários, todos os personagens, o cabelo e maquiagem e, é claro, a história. É um filme muito nostálgico pra mim. Quando eu era criança, eu dava replay na cena em que a Cindy Lou canta: ‘Where Are You Christmas’ de novo e de novo e só chorava e cantava junto. É definitivamente um filme que é reproduzido muito na minha casa.”

Alice (1988): “Outro filme que eu não consigo parar de assistir e me faz sentir cheia de inspiração toda vez que assisto. Eu nunca me canso da brilhante mistura de técnicas usadas nesse filme, de animação stop-motion a coelhos empalhados e tamanhos de quarto sendo mudados executados de forma única. Esse filme é um que continua a me inspirar e criar fora da minha zona de conforto quando criando. O diretor Jan Švankmajer tem vários filmes surrealistas interessantes que eu recomendo muito.”

Edward Mãos de Tesoura (1990): “Tem umas das minhas paletas de cores favoritas em um filme. A cidade em pastel que eles vivem é obviamente super deslumbrante visualmente, assim como os lindos arbustos em forma de animais. Os personagens, figurinos, cabelo e maquiagem são incrivelmente certeiros durante todo o filme. O amor de Edward por Kim, sem nenhuma forma de ao menos abraçá-la, sempre parte meu coração em mil pedaços. Eu amo filmes que mostram personagens únicos e incompreendidos pela sociedade. Muitas pessoas podem se identificar.”

A Morte lhe Cai Bem (1992): “Esse filme não só é hilário, mas também super surreal e constantemente quebrando barreiras na história do que se acredita ser real. Eu gosto muito de qualquer filme que brinque com a ideia de mortalidade. As cenas em que Madeline está concertando seu pescoço quebrado ou quando ela abre um buraco no estômago da Helen são bons exemplos disso. Não vamos esquecer de mencionar que Lisle Von Rhuman é uma personagem tão empoderadora e foda durante o filme. Eu sempre me encontro voltando pra esse filme.”

Frida (2002): “A performance de Salma Heyek como Frida Kahlo é insanamente hipnotizante. A história de vida da Frida é extremamente inspiradora, como ela encontra força entre os desafios e sofrimentos. Minhas partes favoritas desse filme são quando as pinturas de Kahlo e o filme se misturam, mesclando técnicas.”

Atraídas Pelo Perigo (2001): “Uma história de comédia sobre um grupo de amigas que são todas distintamente diferentes mas tem uma ligação tão forte umas com as outras. Elas fazem tudo juntas e e apoiam umas as outras tanto que quando uma delas fica grávida e não tem dinheiro suficiente pra coisas essenciais pro bebê, todas juntam suas forças pra roubar um supermercado. Da paleta de cores até o figurino e cenário, este é um filme que eu gosto muito de assistir.”

Jabberwocky (1971): “Um prazer visual! Jan Švankmajer é um dos meus diretores favoritos pelo seu gosto impecável pelo mágico e bizarro. O aspecto stop-motion desse trabalho é o que lhe permite criar obras visuais que contam histórias de um jeito tão assustador e brilhante. Algumas das minhas cenas favoritas desse filme são quando as bonecas antigas estão comendo sopa de partes de boneca e quando a roupa de marinheiro ganha vida e começa a dançar pelo quarto. Recomendo muito assistir quando você estiver chapado.”

Nunca Fui Santa (1999): “É um filme brega satírico que mostra a jornada de uma jovem mulher quando ela é colocada num campo de terapia de conversão por seus pais. No final, ela percebe que é gay, e mostra que não importa o quanto as pessoas tentem te moldar pra ser o que elas querem, você não pode mudar quem você é. A paleta de cores desse filme é incrível, e também guarda profundas camadas de intenção e significado como um todo.”

O Gato (2003): “Esse é um dos filmes que mais assisto. Entre a paleta colorida, o contraste entre os dois personagens Conrad e Sally, a comédia, o design de produção, o figurino, os elementos mágicos e surrealistas da história e a maquiagem feita no gato, esse filme está no topo de tantas categorias pra mim no que diz respeito a inspiração.”

Jovens Bruxas (1996): “Eu amo esse filme clássico de bruxas, eu acho que estar perto da minha vó – que praticava magia branca sua vida toda e usava cristais e óleos pra curar as pessoas – me transformou em alguém que é extremamente curiosa e interessada em todas as coisas ocultistas. Esse filme é uma boa representação de como até mesmo em um grupo de amigos próximos, algumas pessoas são atraídas pelo lado negro da magia por poder e se dão mal no final. Algumas pessoas são naturalmente e intuitivamente atraídas pela luz e podem ajudar pessoas a se curarem através dela.”

Facebook Comments
Comentários

Redes Sociais

Siga o Oh Melanie Brasil

Facebook

Twitter

Instagram